A INFLUÊNCIA DOS VALORES SUSTENTÁVEIS NA ESCOLHA DE UMA ORGANIZAÇÃO PARA SE TRABALHAR

Fernando Nascimento, Filippe Delarissa Barros, Vanessa Cuzziol Pinsky, Bernadete de Lourdes Marinho

Resumo


Com base na proposição de que os indivíduos valorizam organizações que apresentam um bom desempenho socioambiental, o presente estudo teve como objetivo avaliar a influência dos valores pessoais na escolha de uma organização para se trabalhar. Trata-se de uma pesquisa quantitativa e descritiva, utilizando-se o método survey analítico e considerando uma amostra não probabilística, por conveniência. A coleta dos dados deu-se por meio de questionário estruturado em três partes, considerando cenários de empresas, que foram avaliadas pelos respondentes em função da disposição ou não de se trabalhar nelas, estrutura universal de valores da Teoria de Schwartz (1992) e perguntas sobre o perfil dos respondentes. Por meio da análise dos dados foi possível identificar que há indícios de que quanto maior a presença da dimensão autotranscedência – que compreende os valores universalismo e benevolência do indivíduo, segundo Teoria de Schwartz (1992) – maior a importância dada ao desempenho socioambiental da empresa, e, portanto, à sustentabilidade, uma vez que o desempenho econômico das empresas é avaliado independentemente da presença ou ausência de qualquer grupo de valores. Também foi observada que indivíduos com baixa presença valores autotranscendentes dão menos importância à remuneração.. Os principais limites do estudo foram a amostra homogênea e não estatisticamente representativa, bem como algumas limitações intrínsecas ao instrumento de coleta de dados utilizado.

Palavras-chave


Valores pessoais; Sustentabilidade; Análise conjunta; Recursos humanos; Gestão de pessoas; Schwartz

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24857/rgsa.v7i3.817

Direitos autorais 2014 Revista de Gestão Social e Ambiental

Revista de Gestão Social e Ambiental ISSN: 1981-982X