A “RESPONSABILIDADE SOCIAL” DOS BANCOS NO BRASIL

Marcelo Aureliano Monteiro de Andrade, Marlusa Gosling, Gusttavo Cesar Oliveira Lima

Resumo


Apesar de não haver uma definição sobre o tema Responsabilidade Social Corporativa (RSC), os conceitos acadêmicos, geralmente, apontam que o termo se refere a uma relação ética das organizações com seus stakeholders e do respeito das mesmas ao meio ambiente. Vários estudos, contudo, vêm demonstrando que a RSC acontece especialmente no campo do discurso empresarial e pouco em ações efetivas. Muitos autores já compartilham da idéia de que as organizações utilizam a responsabilidade social como mecanismo de reforço de imagem organizacional, e não como princípio ético. Este artigo, neste sentido, pretendeu confrontar, de forma exploratória, o discurso oficial de dois grandes bancos brasileiros, Banco do Brasil e Itaú, que fazem uso intensivo do discurso socialmente responsável, com suas práticas. Para tanto, foram comparados textos e imagens dos sites das duas empresas – analisados com base em métodos de análise de conteúdo -, a alguns dados públicos sobre a relação dos Bancos com seus clientes e empregados, como índices de doenças ocupacionais, de processos trabalhistas e de ações no Procon. Os resultados sugerem que os bancos mantêm com seus clientes e empregados uma relação unilateral e de exploração, e não de eqüidade e responsabilidade social, como sugerem seus sites.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24857/rgsa.v5i3.370

Direitos autorais 2014 Revista de Gestão Social e Ambiental

Revista de Gestão Social e Ambiental ISSN: 1981-982X