TEORIAS DAS PRÁTICAS: ANÁLISE DA ADOÇÃO DE PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS EM UM PROGRAMA PÚBLICO

Aline Ribeiro Gomes, José Carlos Lázaro da Silva Filho, Áurio Lúcio Leocádio

Resumo


Crescentes são as cobranças da sociedade para que as organizações atentem a modelos socioambientais, sobretudo na utilização de recursos. Para que os princípios sustentáveis sejam adotados nas atividades cotidianas da gestão pública, fazem-se necessárias mudanças de atitudes e práticas, de forma a minimizar os impactos sociais e ambientais dessas atividades. Diante do contexto apresentado, este artigo tem como objetivo investigar, por meio de uma pesquisa qualitativa, a adesão dos colaboradores de um órgão público às práticas da A3P referentes ao uso do recurso energia promovidas na instituição analisada. Nesse intuito, foram utilizadas as lentes das Teorias das Práticas aplicadas por Shove, Pantzar e Watson (2012), onde as práticas são simplificadas nos elementos culturais compartilhados: material, significado e conhecimento prático/competência. Dos resultados obtidos, pode-se constatar que, das três práticas referentes ao uso racional da energia detectadas, uma demonstra deficiência do elemento material e as outras duas apresentam os três elementos constituintes das práticas. Assim, os resultados apontaram para a necessidade de se trabalhar o elemento material em uma das práticas sustentáveis analisadas, de forma que essa se estabeleça na instituição. O modelo aplicado por Shove et al. (2012) poderá ser utilizado como referência de análise em novos estudos.


Palavras-chave


A3P – Agenda ambiental na administração pública; Desenvolvimento sustentável; Práticas socioambientais; Teorias das práticas

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24857/rgsa.v14i1.2256

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista de Gestão Social e Ambiental ISSN: 1981-982X