A ESTRUTURAÇÃO DE REDES MULTISTAKEHOLDERS PARA A SOLUÇÃO DE PROBLEMAS SOCIAIS COMPLEXOS

Roselaine Nunes de Oliveira Moscofian, Douglas Wegner, Tatiane Pellin Cislaghi

Resumo


Os problemas ambientais e de saúde causados pelo uso indevido dos agrotóxicos na agricultura familiar vem sendo discutidos em âmbito nacional e mundial. Nesse sentido, a pesquisa teve como objetivo propor uma rede multistakeholder que possa minimizar esse problema complexo que afeta a sociedade. A pesquisa empírica foi realizada em duas etapas: a primeira, com abordagem qualitativa de natureza descritiva, consistiu em um estudo de caso de uma rede de stakeholders criada para minimizar um problema social relacionado à gestão de uma bacia hidrográfica. Esse modelo de rede serviu de inspiração para a segunda etapa da pesquisa, que consistiu na proposição de uma nova rede colaborativa capaz de minimizar os impactos do uso dos agrotóxicos. A principal contribuição da pesquisa está na proposição de um modelo de rede, identificando os stakeholders participantes e a forma de governança, cuja implementação tem o potencial de minimizar o problema dos agrotóxicos na agricultura familiar. A contribuição teórica do estudo está em descrever a estruturação de redes multistakeholders relacionadas a contextos que possuem complexidade social, ambiental e política.

Palavras-chave


Redes colaborativas; Governança; Multistakeholders; Agrotóxicos; Agricultura familiar

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24857/rgsa.v12i1.1376

Direitos autorais 2018 Revista de Gestão Social e Ambiental

Revista de Gestão Social e Ambiental ISSN: 1981-982X